Gerenciar o controle de estoque de matérias-primas é vital para o sucesso da empresa. Isso significa saber a quantidade ideal para a produção, de modo a evitar gargalos e atrasos, que podem comprometer seriamente a empresa. Porém, fazer um controle rígido dos materiais também é importante para eliminar a possibilidade de furos nos orçamentos das próximas compras. Vamos ver como essas situações pode ser evitada. 

Atualmente, todos os segmentos que compõem uma empresa precisam ter a sua performance avaliada por meio de indicadores de desempenho. Essa é a melhor forma de gerir o empreendimento com inteligência, sabendo quais atividades precisam ser ajustadas para que a sua função seja potencializada. O Saving  é um desses indicadores, aplicado especificamente ao setor de compras. 

O que é Saving? 

O Saving é um dos indicadores mais importantes para a área de compras, pois ele tem o objetivo de mensurar a eficiência deste setor em uma empresa. E de que forma ele faz isso? Medindo o ganho por compra e, por consequência, a habilidade que esse departamento tem de contribuir com a lucratividade do empreendimento. Por exemplo: um material custava R$450, mas foi adquirido por R$ 420, ou seja, nessa compra, a empresa ganhou R$ 30. Imagine esse valor multiplicado, dependendo da quantidade do pedido por mês.

Diferente do que algumas pessoas podem imaginar, o  Saving não significa orçar um mesmo material com vários fornecedores e assim, escolher aquele que cobra menos. Na realidade, esse indicador está muito mais relacionado com a capacidade que o profissional tem de negociar com aquele fornecedor de confiança, que garante materiais de qualidade, entregues no prazo.  
 
Isso significa que, de acordo com esse índice, é mais válido conseguir uma boa negociação com um fornecedor de qualidade do que comprar com alguém que não seja tão confiável, mesmo que essa segunda opção represente uma economia ainda maior. 
 
Outro detalhe importante do Saving é que além de considerar o valor da mercadoria em si, diversas questões deverão ser contempladas, como os outros itens que entram na negociação, o prazo de entrega e as condições de pagamento. Por exemplo: o comprador precisa decidir se é mais estratégico conseguir uma porcentagem de desconto ou pagar o preço original parcelado em mais vezes. Isso vai depender do valor do material e de cada situação. 
 
Mas em geral, o  Saving  indica a capacidade do setor de compras de negociar, para garantir todos os suprimentos dos quais a empresa precisa com os melhores fornecedores e as condições mais favoráveis. E isso, mesmo que indiretamente, vai se traduzir em um aumento da lucratividade. 

Como melhorar o  Saving de compras? 

Algumas dicas podem ser aplicadas à gestão de compras para melhorar o indicador  Saving, como por exemplo: 
 
* Selecionar os melhores fornecedores do mercado e construir uma relação de parceria com eles. Para isso, os dois lados precisam sair ganhando! Essa seleção deve levar em conta a experiência de mercado, capacidade de solucionar o problema em questão, credibilidade, custo/benefício e outros elementos; 
 
* Adoção de um padrão descritivo de materiais a ser implementado em toda a empresa, isso vai evitar que um mesmo item seja comprado mais de uma vez sem necessidade, apenas porque ela não estava registrada no sistema com o nome correto, por exemplo; 
 
* Procurar reduzir o lead time das compras, ou seja, buscar fornecedores e soluções que diminuam o tempo transcorrido entre o pedido e a chegada do material. Afinal, dependendo do material, o desfalque pode prejudicar toda a dinâmica da empresa. 
 
Para ficar por dentro de outros conteúdos relacionados ao setor de compras, assine a newsletter e receba novidades exclusivas!